segunda-feira, março 24, 2008

Sobre trilhas e bênçãos

Vale do Pati - Sílvia Câmara

Em tempo de páscoa
Sai decidida a andar muito.
E andei.

Nem sei direito
Acho que flutuei.

Cheguei tão alto que alcancei o céu
Ouvi Deus e o melhor:
Ele me ouviu.

Atravessei veredas, vales
Córregos, rios, cachoeiras.

Meu anjo bom mostrou-me flores,
Deu-me alma nova, lavadinha
Presenteou-me com beija-flores.

Descobri que páscoa significa passagem
De um tempo a outro
De um mundo a outro
De um modo de ver a outro.

Passeei
Emocionei-me.

Descendo aquele Beco
Quase me passarinhei.
E foi assim que, suavemente,
Naquela travessia,
Pascoei.

Sílvia Câmara

23 comentários:

Marcela disse...

Não existiria melhor interpretação do que essa!
Apenas quem viveu tal experiência sabe o quão reais são tuas palavras.
De repente me encontro no lugar mais lindo que pude conhecer. Levo dessa caminhada não só as flores, as cachoeiras,mas, a coragem, a determinação e a vontade de retornar para matar a saudade que lá ficou...
Te amo mãe!

Sílvia Câmara disse...

É essa determinação que nos impulsiona, Filha.
E o mais bacana nisso tudo é sabermos da nossa capacidade de superação. Superamos cansaço, sede, fome, momentos de desânimo, medo, ansiedade, desconforto e tudo o mais que pudesse nos atrapalhar.
Sonhamos um sonho juntos e acordamos com ele realizado.
Te amo também, bem muito.
A gente ainda retorna para lá.

Jane disse...

Meninas Sílvia e Marcela,

Compartilhamos desse sonho em momentos diferentes. Porque não repeti-lo juntas? O feriado de Corpus Christi vem ai! Silvinha, lembre-se do bolo de banana!!!

PS: As palavras de vocês me emocionaram.

Beijos no coração das duas.

Jane

Sílvia Câmara disse...

Pois é, Jane minha véia...
E a gentileza da Nara, nem me conhecia e deixou aquele bolo de banana pronto me esperando...
Ô povo bacana demais de bom.
um beijo

MARIAESCREVINHADORA disse...

Silvinha querida,

Fui contigo e a turma toda pascoar no Vale do Pati, que nem sei onde fica. Explica, mulher.
Adorei o poema. Beijos,

Conceição

Clóvis Campêlo disse...

Vim com os ventos do norte. Sai do Beco. Sem bico e sem Baco. Vim em busca da brisa póetica, dos vales, do verde e das nuvens. Posei leve, suave, sereno, pequeno e sozinho.
Vi a água e vim do vinho. Contive-me contente.

Casulo Temporário disse...

Lindo, Sílvia.
Que Feliz Páscoa!
grande abraço,
Ana Cecília

Maria Muadiê disse...

Silvinha, não conheço o Vale do Pati, depois do que li, atiçou minha vontade de passarinhar.
bjo

Casulo Temporário disse...

É verdade, parece que foi ontem!
Você sabe dessas coisas, essa matéria de vida que é, em todas suas tantas faces, maravilhamento.
grande abraço,
Ana Cecília

José Calvino disse...

Que bonito, Silvinha!
A sua aliciante audácia, extremamente sensível à brisa poética do Vale do Pati. O seu poema junto com a foto senti à beleza do mundo das montanhas, das flores, dos rios, das cachoeiras, da vida, do amor...
Parabéns poetamiga.
Beijos do,
José Calvino
Recife

Ramon de Alencar disse...

...
-Viveste sim, viveste a páscoas pois!!!

Lary Martinez disse...

Como ja diriam os normais: TEM DOIDO PRA TUUUUUUUDOOOOO!!!
risos...
e ainda bem que nao somos iguais pq se nao o mundo seria tao chato...
bjoossss love youuu baleia azullll

Sílvia Câmara disse...

Love you também, Filha do meio. Você disse tudo: ainda bem que somos diferentes e o mundo é tão bacana por causa disso.
Adorei vc ter ido pascoar conosco, mesmo sem gostar muito de mato. Você talvez tenha sido o nosso maior exemplo de superação.
Te amo bem muito, SEMPRE.

Gerlane disse...

Bonito, Sílvia! Tão leve!

Beijos e, uma boa semana pra ti!

Anônimo disse...

Olá, Silvinha,
PASSARINHE-SE SEMPRE, poeta de belos ninhos.
Abraço de
CLAU

Verônica Aroucha disse...

Pascoei pela tua alameda; bela estrada, minha querida amiga.
Apesar da ausência, apenas vendo seu nome, já sei o quanto cantam os pássaros!
Blog lindo de viver, paz e alegria.
bjs

Sílvia Câmara disse...

Verônica, grata pelos teus sempre gentis comentários.
Tentarei seguir teu conselho, Clau: de passarinhar-me sempre, de vez em quando, quando puder.

Alê disse...

Palavras com sabor de vida bem vivida e cheiro de quero mais.
Belo!

Namastê!

Paulo D'Auria disse...

Obrigado pela visita ao meu blog!

Linda passarinhada essa, hein!

E, macabéa, parabéns pra vc tbém!

Beijos

guillermo disse...

bellisimo e muito emocionante sua escritura o brigado por este momento guillermo desde argentina visite meu blog escriturapoetica.blogspot.com

Anônimo disse...

Gostei muito dos seus poemas, depois eu volto para ler os outros.

até mais.

Anônimo disse...

venha participar em www.luso-poemas.net

Bill Stein Husenbar disse...

Bonito.

Que poema tão vivo...

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/