segunda-feira, março 24, 2008

Sobre trilhas e bênçãos

Vale do Pati - Sílvia Câmara

Em tempo de páscoa
Sai decidida a andar muito.
E andei.

Nem sei direito
Acho que flutuei.

Cheguei tão alto que alcancei o céu
Ouvi Deus e o melhor:
Ele me ouviu.

Atravessei veredas, vales
Córregos, rios, cachoeiras.

Meu anjo bom mostrou-me flores,
Deu-me alma nova, lavadinha
Presenteou-me com beija-flores.

Descobri que páscoa significa passagem
De um tempo a outro
De um mundo a outro
De um modo de ver a outro.

Passeei
Emocionei-me.

Descendo aquele Beco
Quase me passarinhei.
E foi assim que, suavemente,
Naquela travessia,
Pascoei.

Sílvia Câmara

23 comentários:

Marcela disse...

Não existiria melhor interpretação do que essa!
Apenas quem viveu tal experiência sabe o quão reais são tuas palavras.
De repente me encontro no lugar mais lindo que pude conhecer. Levo dessa caminhada não só as flores, as cachoeiras,mas, a coragem, a determinação e a vontade de retornar para matar a saudade que lá ficou...
Te amo mãe!

Sílvia Câmara disse...

É essa determinação que nos impulsiona, Filha.
E o mais bacana nisso tudo é sabermos da nossa capacidade de superação. Superamos cansaço, sede, fome, momentos de desânimo, medo, ansiedade, desconforto e tudo o mais que pudesse nos atrapalhar.
Sonhamos um sonho juntos e acordamos com ele realizado.
Te amo também, bem muito.
A gente ainda retorna para lá.

Jane disse...

Meninas Sílvia e Marcela,

Compartilhamos desse sonho em momentos diferentes. Porque não repeti-lo juntas? O feriado de Corpus Christi vem ai! Silvinha, lembre-se do bolo de banana!!!

PS: As palavras de vocês me emocionaram.

Beijos no coração das duas.

Jane

Sílvia Câmara disse...

Pois é, Jane minha véia...
E a gentileza da Nara, nem me conhecia e deixou aquele bolo de banana pronto me esperando...
Ô povo bacana demais de bom.
um beijo

MARIAESCREVINHADORA disse...

Silvinha querida,

Fui contigo e a turma toda pascoar no Vale do Pati, que nem sei onde fica. Explica, mulher.
Adorei o poema. Beijos,

Conceição

Clóvis Campêlo disse...

Vim com os ventos do norte. Sai do Beco. Sem bico e sem Baco. Vim em busca da brisa póetica, dos vales, do verde e das nuvens. Posei leve, suave, sereno, pequeno e sozinho.
Vi a água e vim do vinho. Contive-me contente.

Casulo Temporário disse...

Lindo, Sílvia.
Que Feliz Páscoa!
grande abraço,
Ana Cecília

Maria Muadiê disse...

Silvinha, não conheço o Vale do Pati, depois do que li, atiçou minha vontade de passarinhar.
bjo

Casulo Temporário disse...

É verdade, parece que foi ontem!
Você sabe dessas coisas, essa matéria de vida que é, em todas suas tantas faces, maravilhamento.
grande abraço,
Ana Cecília

José Calvino disse...

Que bonito, Silvinha!
A sua aliciante audácia, extremamente sensível à brisa poética do Vale do Pati. O seu poema junto com a foto senti à beleza do mundo das montanhas, das flores, dos rios, das cachoeiras, da vida, do amor...
Parabéns poetamiga.
Beijos do,
José Calvino
Recife

Ramon de Alencar disse...

...
-Viveste sim, viveste a páscoas pois!!!

Lary Martinez disse...

Como ja diriam os normais: TEM DOIDO PRA TUUUUUUUDOOOOO!!!
risos...
e ainda bem que nao somos iguais pq se nao o mundo seria tao chato...
bjoossss love youuu baleia azullll

Sílvia Câmara disse...

Love you também, Filha do meio. Você disse tudo: ainda bem que somos diferentes e o mundo é tão bacana por causa disso.
Adorei vc ter ido pascoar conosco, mesmo sem gostar muito de mato. Você talvez tenha sido o nosso maior exemplo de superação.
Te amo bem muito, SEMPRE.

Gerlane disse...

Bonito, Sílvia! Tão leve!

Beijos e, uma boa semana pra ti!

Anônimo disse...

Olá, Silvinha,
PASSARINHE-SE SEMPRE, poeta de belos ninhos.
Abraço de
CLAU

Verônica Aroucha disse...

Pascoei pela tua alameda; bela estrada, minha querida amiga.
Apesar da ausência, apenas vendo seu nome, já sei o quanto cantam os pássaros!
Blog lindo de viver, paz e alegria.
bjs

Sílvia Câmara disse...

Verônica, grata pelos teus sempre gentis comentários.
Tentarei seguir teu conselho, Clau: de passarinhar-me sempre, de vez em quando, quando puder.

Alê disse...

Palavras com sabor de vida bem vivida e cheiro de quero mais.
Belo!

Namastê!

Paulo D'Auria disse...

Obrigado pela visita ao meu blog!

Linda passarinhada essa, hein!

E, macabéa, parabéns pra vc tbém!

Beijos

guillermo disse...

bellisimo e muito emocionante sua escritura o brigado por este momento guillermo desde argentina visite meu blog escriturapoetica.blogspot.com

­­Misael Roberto disse...

Gostei muito dos seus poemas, depois eu volto para ler os outros.

até mais.

Anônimo disse...

venha participar em www.luso-poemas.net

Bill Stein Husenbar disse...

Bonito.

Que poema tão vivo...

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/