domingo, novembro 23, 2008

Cantiga para sete versos



O canto que eu queria cantar
Foi-me tirado pelos pássaros.

A luz que eu pensei existir
Subtraiu-a o sol.

E essa água brotando em meus olhos
Fiapo de cachoeira:

Saudade de canto e luz.

Sílvia Câmara

6 comentários:

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Minha querida Sílvia,
Vejo que publicou um novo e belo poema, fazia tempo que nao tinhamos novas da Bahia, venho visitá-la várias vezes e nunca deixo uma nota, queria pedir-lhe se poderia levar poemas seus para o meu blog cores&palavras, claro está respeitando todos os créditos a voce e sua brisapoética. Aproveito tambem para te dizer que seu comentário em "Tatuagem" me comoveu também pela simplicidade e sinceridade dos sentimentos expressos, Um grande beijo cheio de carinho e amizade.
Kandandu
Namibiano

Verônica Aroucha disse...

Querida Silvinha, lindo poema!
Quanto luz percebi, e os pássaros cantam em sua mão.
Felicidades sempre.
Verônica

MARIAESCREVINHADORA disse...

Que linda a sua canção, Silvinha.
Adorei.
Bjs

Conceição

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Com amizade,

http://coresepalavras.blogspot.com/2008/11/cantiga-para-sete-versos.html
Kandandu

Casulo Temporário disse...

Sílvia,
que bom que você está de volta!
lindos versos.
Abraço,
Ana

Pavitra disse...


lindo poema!
adorei!