segunda-feira, novembro 19, 2007

Terceiro repouso em Andrômeda



De todas as partes da água
A mais difícil é a chegada à foz
Deixa o berço e alcança o todo,
A parte maior do mundo.
Esquece-se do nascedouro,
Deslembra das margens,
Deve alegrar-se com o percurso
E agonizar no encontro.
Sentir nos ombros essa saudade
Do lastro areento da nascente.
Como um fauno adejado de cristais
Que se deixa transpassar por colibris.
Assim o medo corroído pela beleza da cena
Atravessa toda a extensão e aguarda
A hora exata do encontro fatal.
Nessa hora uma estrela refulge.

Sílvia Câmara

12 comentários:

MARIAESCREVINHADORA disse...

"Nessa hora uma estrela refulge"
Deve ser e com certeza é a sua, Silvinha. Cada vez mais inspirada, brilho ímpar no céu dos poetas.
Lindo demais.
Beijo,

Conceição

Nancy Moises disse...

Ei vim agradecer seu carinho em meu blog, suas palavras. Sabe ando me emocionando demais, principalmente agora com a alegria de todos meus amigos.
Ofereço u selo de 100.000 visitas, pode ate escolher fiz p/ meus amigos.
Te espero .Bj

Clóvis Campêlo disse...

Hoje é sábado, dia de visita aos blogs amigos.
Vim na correnteza das águas.
Gostei.

Verônica Aroucha disse...

Transpassar por colibris me dá uma emoção tão boa!
O encontro deve ser mesmo um grande repouso na paz.
Abraços mil, ainda tenho.
Verônica, com muito carinho para a minha amiga Silvinha.
Verônica

Anônimo disse...

Querida Silvia,

Seu poema é comovente: tem o movimento raro das mágicas palavras!

Abraços,

Wesley

Maria Muadié disse...

nossa, que lindo, silvia. muito lindo.

Espatódea disse...

Água que molha, que bole, que se lança, água que atravessa, que fica paradinha, que lava o rosto. Sua poesia me trouxe água para os olhos...

Ramon de Alencar disse...

...
-É o medo de todo o fim de jornada: Morrer e se tornar algo maior e inefáfel.

...
-Simplesmente assim, Lindo!

José Calvino disse...

Poetamiga Silvinha,
Os versos de sua poesia são lindos e profundos como a chegada ao amor...(chegada à foz)No fim a estrela que brilha, que logo se transforma em carícias e um grande repouso na paz.
Demais!
Beijos do,
Calvino
Recife

O Profeta disse...

Pelo caminho da minha lembrança
Semeei o vago na tua procura
No tear da incontrolável vontade
Teci-te um manto da…seda mais pura…


Boa semana


Mágico beijo

Espatódea disse...

Mas Iemanjá sabe bem a hora do encontro das águas... e o tempo das coisas. Belos textos! Prazer!!

MUSA DA POESIA disse...

Adorei o seu site esta entre os meus favoritos,por favor adicione o meu blog aos seu favoritos.
Parabéns obrigada
Poetiza Léa Lu musa da poesia MG