quinta-feira, setembro 13, 2007

Sertão do Canindé

O conterrâneo Bôsco postou esta maravilha em seu blog, com a devida permissão, posto-a aqui no Brisa, reverenciando o sertão cearense e a poesia que ali habita.



Foto: Ocaso nos arredores de Acopiara/CE- Sílvia Câmara-2005

Ao poeta Moacy Cirne, amante dos sertões e azulências.

Com dedos de antigamente
debulho o tempo
como contas de um rio
encantado
que corre plácido e azul
sob meu olhar
e
este sol
que me abrasa

Há uma paz de aves adormecidas
e de cantigas de sereias caboclas
no imenso mar deste sertão
que me habita.

Bôsco Sobreira

2 comentários:

Moacy Cirne disse...

Minha cara, sou suspeito pra falar, claro. Mas o poema de Bosco é uma beleza... Um beijo, viu!?!

nancy Moises disse...

Querida Poetisa...

Agora que ja foi indicado por mim,faça o seguinte:

1- inserir nos seus contatos o blog
Gritos verticais: http://poemasdeandreluis.blogspot.com
e
Alma de poesia:
http://ritacostaalmadepoesia.blogspot.com

2- Escreva para o e-mail canetadeouropoesia2007@gmail.com

Dizendo "fui indicado com a poesia
“Sobre como assumir as falhas”
http://www.brisapoetica.blogspot.com
por NANCY MOISÉS do blog http://luaempoemas.zip.net
que concorre com o poema
"Preciso de colo" http://luaempoemas.zip.net
Aguarde a remessa do material para que possa colocar devidamente em seu blog e como eu fiz no meu blog.."

Beijos e Boa Sorte

Nancy Moisés