quarta-feira, dezembro 10, 2008

Tempo e Espaço

foto:Luiz Felipe Monteiro-Olhares.com

De tanto que vi do mundo
Cansei.
De tanto que apreendi
Esqueci.

Agora fico calada,
Muda.
A espera é estratégica.

E por isso os ramos crescem,
As raízes se aprofundam.
Busco no centro da terra o encontro.
Seria razoável descrever tal sentimento?

Continuo esperando...

Assim é que
Os ramos ganharam o espaço
E as raízes atravessam o tempo.

Sílvia Câmara

5 comentários:

Pavitra disse...


é assim a espera
pela paz nas reticências
dos dias...

lindo, silvia!

On The Rocks disse...

bela poesia!

até mais.

Janaina Amado disse...

Bom poema, Silvia. Cerebral, até a estrofe final, que encerra o poema com um lindo toque emotivo de outono. Gostei!

LIRIS LETIERES disse...

Vim refrescar-me nessa brisa suave...

Fernanda Leturiondo disse...

que lindo poema, silvia!