segunda-feira, novembro 13, 2006

O querer


Porque nem tudo que se diz, é.
E nem tudo que se pensa, sabe.
Quero ser chuva e sol.
Branco e preto
Rir e chorar, melhor de contentamento.
Abencehaje de Alhambra
Vôo rasante e certeiro.
Mergulho, céu e mar
Cecília,
Adélia,
Clarice
Florbela
O paraíso de Baudelaire.
Se fosse uma rosa, Guimarães.
Um sopro, Pessoa.
A solidão de Márquez
De Gullar, toda poesia.
Criança, Quintana
Manoel, para brincar com Barro.
Castro Alves flutuante
Condor Neruda, confesso.
Andorinha de Bandeira
La Mancha de Cervantes
A lira de Azevedo.
De Camões uma redondilha.
O beijo eterno de Bilac
Eternamente Drummond.


Sílvia Câmara

Um comentário:

Maria Muadié disse...

Silvia, estou emocionada....
Que lindo isso tudo que vc diz, e isso que você diz, é.
Um beijo grande,
Martha