quarta-feira, janeiro 03, 2007

Dança

Foto by Newsletter


Depois de muita chuva, enfim o sol apareceu outra vez.
Os pássaros cantaram mais alto.
Quem estava lendo, parou. Era um barulho estalado, um tac-tac-tac.
E lá estavam elas — alegres, lindas — um par de borboletas, da cor do por-do-sol, em dança-vôo de acasalamento.
A dança prossegue, dança sobre dança.
Baile asado e alado. Namoro aéreo e invertebrado.
Pára o mundo e só a criação existe.
Pousam cada uma em um ramo da acácia rosa em flor.
Plenitude.
Iniciava-se a próxima geração de borboletas do bosque.
Sílvia Câmara

2 comentários:

Maria Muadié disse...

"Eu vou lhe dar de presente uma coisa.
É assim: borboleta é pétala que voa."

Clarice Lispector

MARIAESCREVINHADORA disse...

As borboletas coloridas dançam no bosque a dança do acasalamento entre as flores. Como bem diz Clarice, elas são pétalas que voam depois da metamorfose de um feio casulo.
Lindo texto, Sílvia.
Grande abraço,

Conceição.