quinta-feira, agosto 16, 2007

Travessura


Ah! Menino
Também corri muito
atrás dos mesmos arranhões que você.
Papai-do-Céu nos observava
E as estrelas
Eram mais inatingíveis, não é?
E a bola
era o mundo
que batia no muro.
Todos os doces
Machucavam nossos sorrisos...
Que fizemos dos sonhos,
menino?
Foi a vida que se tornou um
esconde-esconde

Agostina Akemi Sasaoka

3 comentários:

Mônica Montone disse...

Ai, que jeito mais lindo de finalizar o poema, gostei!!!!

Querida, obrigada por seu pouso lá no Fina Flor, viu?! Perfumes como o seu são sempre bem vindos por lá.

beijos e bom fim de semana,

MM.

CLAU disse...

Oi, Brisa!
estou encantada com seu blog!
lindo lindo lindo lindo lindo
"ai vontade de ficar
mas tendo que ir embora...!"
go on, poeta!
bjs
Clau
www.plataforma.paraapoesia.nom.br

Sílvia Câmara disse...

Com estas opiniões abalizadíssimas, eu só posso ficar "absolutamente pimpona".
Obrigada pelos comentários, Ladies.Um beijo e pousem sempre por aqui.