quarta-feira, dezembro 13, 2006

Livro


Boitempo, ou seja, aquele vago boi
imóvel na planura do passado,
a ruminar o verde-azul-dourado
silêncio do que é de quanto foi.

Carlos Drummond de Andrade

2 comentários:

Maria Muadié disse...

Que maravilha. Eu não conhecia.
Beijo,
Martha

R. disse...

Eu lí esse poema uma vez numa biblioteca ha 4 anos e nunca mais achei, vasculhei em varios livros de Drummond, e esse foi o UNICO lugar que eu achei esse poema na internet digitando o primeiro verso no google; obrigado!!!!!!

Você sabe em que livro de Drummond ele se encontra (além da obra completa)? Se sim seria pedir muito vc me responder por e mail? :S
ricardomatheus_2@hotmail.com

bem, se não jah fica meu email ai p qualquer contato entre apreciadores da poética de Drummond :)