sexta-feira, dezembro 01, 2006

Para quem ficou na França


Que ao menos este livro, esta mensagem, alcance
o silêncio como um murmúrio,
o litoral como uma onda! Que ali chegue - suspiro ou lágrima!
Que entre no túmulo, e que juventude, alvorada, beijos,
orvalho, o riso da noiva,
brilho e alegria já entraram - e com eles meu coração:
deveras, de lá jamais voltou!
E que seja um canto de luto, brado de esperança que jamais mente,
som de um pálido adeus de lágrimas, sonho cujas asas
sentimos roçar levemente! Que ela possa dizer:
" Tem alguém aí - ouço um ruído!"
Que ressoe no escuro como passadas da minha alma!"

Victor Hugo, exilado, escreveu para a filha morta - afogada aos 19 anos. Tocante.

3 comentários:

Maria Muadié disse...

Ai que dor. Que dor imensa.

Aline disse...

Sílvia, o blog está fantástico, maravilhoso, lindo!!! Parabéns! Deu inspiração para retomar o meu!!! Beijos!

carlos.cesar disse...

Lindo, maravilhoso!!!
Gostaria de sugerir uma pequena correçao na frase: "e que juventude...".
Acho que o correto é: "em que juventude...".

Parabéns pelo blog!

carlos.cesar@hotmail.fr